logo RCN
Final feliz

Cachorro enterrado vivo em Pouso Redondo é adotado

  • Foto: Divulgação / Apapre -

Lobo, o cachorro enterrado vivo no dia 28 de novembro, teve uma virada surpreendente em sua vida. No último sábado (2), a Apapre (Associação Protetora dos Animais de Pouso Redondo) anunciou a emocionante notícia de que Lobo foi adotado por Morgana Ceolin, sua nova tutora.

Em um post nas redes sociais, a Apapre compartilhou a alegria da adoção, afirmando: “Hoje nosso coração está transbordando de felicidade! Lobo ganhou um lar, onde amor e respeito não irão faltar”. Mesmo com o cão debilitado e incapaz de caminhar, a associação expressou otimismo em relação à recuperação de Lobo, ressaltando que o amor desempenha um papel fundamental na cura.

Agradecendo a generosidade de Morgana, a associação destacou a importância de todos os envolvidos na recuperação do cãozinho: “Muito obrigada a todas as pessoas que contribuíram para a recuperação do Lobo. Sem vocês, nosso trabalho se torna impossível. Vai, Lobo. Vai ser feliz! Você tem o direito de conhecer o amor! Vai, guerreiro”.

Cachorro enterrado vivo

A história de Lobo comoveu a comunidade local quando, na manhã de 28 de novembro, uma denúncia levou os voluntários da Apapre a um local onde o animal estava “soterrado, coberto com entulhos e capim para disfarçar”. Após o resgate, Lobo foi encaminhado a uma clínica veterinária, onde sua condição foi avaliada.

O diretor de comunicação da Apapre, Fabricio Merizm, descreveu a situação encontrada: “Foram constatadas queimaduras nas patas, infecção nos olhos, paralisia dos membros traseiros, peso abaixo do ideal e um linfonodo grande na região do pescoço”. Suspeita-se que Lobo tenha cerca de 15 anos de idade, refletindo um triste cenário de abandono de cães idosos em todo o país.

Tutor que tinha problemas com alcoolismo foi preso

Lobo teve a sorte de ser resgatado, uma vez que as pessoas da região já estavam cientes dos maus-tratos cometidos por seu tutor, um homem de 58 anos. “Já conhecíamos o tutor e a situação precária por causa do alcoolismo”, revelou Merizm, destacando que a comunidade local ajudava o animal com comida e água.

No desfecho desta história, o tutor recebeu voz de prisão, sendo conduzido à delegacia. A Apapre enfatizou que situações como essa ocorrem em todo o país, ressaltando a importância de combater o abandono de animais, especialmente os mais vulneráveis, como os idosos.


Fonte: Ada Bahl / ND+​

Condutor de veículo é preso por dirigir sob a influência de álcool em Rio do Sul Anterior

Condutor de veículo é preso por dirigir sob a influência de álcool em Rio do Sul

Morre a segunda vítima de explosão em Rio do Sul Próximo

Morre a segunda vítima de explosão em Rio do Sul

Deixe seu comentário