42Para combater a proliferação do mosquito borrachudo, o Governo do Estado, por meio da ADR Taió, está promovendo a distribuição do larvicida biológico BTI e repassando orientações quanto à aplicação, para os moradores do interior dos municípios. Na última quarta-feira, 23, o produto foi distribuído nas comunidades de Craveiro e Bley Pombas, em Santa Terezinha.

Publicidade

“Essa ação visa a melhoria da qualidade de vida do homem do campo. Os borrachudos causam prejuízos socioeconômicos e à saúde dos moradores das áreas afetadas, por isso o combate ao deve ser contínuo”, afirmou o secretário executivo Jardel Fronza.
“Se aplicado da maneira correta e de forma coletiva, há mais chances de surtir efeito na erradicação do mosquito”, disse o gerente de Políticas Socioeconômicas Urbanas e Rurais da ADR, Alcides Francisco Pivatto. Ele destacou a parceria da Epagri e da prefeitura. “Os técnicos da Epagri estão capacitados para orientar e aplicar o produto nas propriedades. Também presente no encontro, o vice-prefeito Inácio Monczevski, colocou a prefeitura à disposição das comunidades”.

O gerente de Educação, Moacir de Melo falou que serão realizadas ações voltadas para o combate ao borrachudo em escolas de Santa Terezinha, envolvendo toda a comunidade. “Serão realizadas palestras educativas e de conscientização em unidades de ensino do município, alem de demonstrações da aplicação do inseticida biológico, visando diminuir a incidência do borrachudo nas propriedades rurais e urbanas”.

O BTI é uma bactéria que mata a larva do inseto e é diluído em água. Segundo estudos da Embrapa, o inseticida não faz mal à saúde das pessoas, de peixes e de outros animais. Ao contrário do mosquito da dengue, o borrachudo não gosta de água parada e, quanto mais sujeira tiver, melhor. As larvas alimentam-se de matéria orgânica. Por isso, lixo e dejetos de animais são o combustível para o criatório do borrachudo.

Deixe seu comentário

comentários

COMPARTILHAR