Foto: JATV
(Last Updated On: 17 de julho de 2017)

A empresa Heidrich Geração Elétrica é a responsável pelo canal que rompeu na terça-feira, dia 11. Segundo o Administrador Comercial da empresa, José Gilmar Nasatto, este canal faz parte da hidrelétrica PCH Rudolf e está na fase de operação, em Teste, conforme autorizado pela Celesc, Aneel e Fatma, afirma Nasatto.

Publicidade

Nasatto explica, em nota, que a PCH Rudolf possui potência instalada de 9.26MW. Seu canal de adução tem extensão de aproximadamente 4Km, dos quais a maior parte foi construída em concreto, sendo fundo e laterais.

Sobre a ruptura José Gilmar Nasatto esclarece “Verificou-se a ocorrência de rompimento localizado, em um módulo de parede situado entre duas juntas de dilatação. Trata-se do último módulo concretado, exatamente aquele que servia de acesso ao interior do canal, para circulação durante a fase de construção. Considera-se o motivo da ocorrência, falha executiva localizada, não extensiva aos demais módulos”, explica Nasatto, em nota emitida à imprensa, a qual pode ser conferida na íntegra, no final deste artigo.

Empreiteira Pereira, de Rio do Campo, não foi a responsável pela construção da parte rompida, afirma mestre de obras

Uma das empresas responsáveis pela construção da extensão do canal é a construtora riocampense ‘Empreiteira e Mão de Obra Pereira’.
Sidnei Batista é mestre de obras da Empreiteira Pereira, e na quarta-feira, dia 12, Sidnei falou ao Jornal A Tribuna do Vale para esclarecer alguns fatos. “Estamos executando um serviço para a Geração Heirich. E quando ocorreu o acidente eu não estava no local, mas quando soube fui até a obra dar uma olhada, chegando lá, vi que tinha rompido uma parede de concreto”, relata Sidnei.

Sidnei Batista, mestre de obras da Empreiteira Pereira (Foto: JATV)

Segundo Sidnei, são duas empresas, empreiteiras, que trabalharam na construção do canal, uma de Rio do Campo, a qual Batista é mestre de obras, a Empreiteira e Mão de Obra Pereira, e a outra empreiteira é de Taió “Uma não tem nada haver com a outra, são equipes separadas. Não temos muito contato com a outra, empresa. Quando ela começou a executar o serviço igual ao nosso, a gente se dividiu, fomos para a esquerda e eles foram para a direita. Cada um foi contratado para fazer uma parte”, explica.

Sidnei Batista esclarece que a construção na parte que se rompeu foi executada pela empreiteira de Taió “Não vou dizer que não poderia ter acontecido do nosso lado também, mas aconteceu a queda da parede no lado que a empresa de Taió executou. Gostaria de deixar claro isso, pois tem muita gente pensando que foi a empresa do Pereira que fez”, diz Sidnei.

Contudo, Batista garante que a Empreiteira e Mão de Obra Pereira está auxiliando para reparar o canal e os danos às propriedades. “Já estamos tomando às devidas providências para dar início à recuperação dessa parte que caiu, não fomos nós que fizemos, mas assumimos o compromisso. Não teríamos obrigação nenhuma de fazer essa recuperação no canal, mas a gente se propôs a recuperar devido ao compromisso e responsabilidade que temos com a empresa”, conta Sidnei.

A Empreiteira e Mão de Obra Pereira está trabalhando na obra do canal há mais de dois anos “São dois anos e seis meses que estamos na obra da Empresa Heirich Geração”, cita Batista.

Sidnei pede compreensão e faz agradecimentos “Eu quero agradecer a compreensão de todos, esta é a minha justificativa pelo compromisso que a gente tem com o Pereira. Sendo mestre de obras desse trabalho a gente gostaria de pedir a compreensão de todos”, agradece Batista e acrescenta “Estamos dando o maior apoio, no que for preciso, estamos à disposição de qualquer um que queira esclarecimentos”.

Conforme Sidnei, a Empreiteira Pereira está auxiliando a Heirich Gerações no apoio às famílias “A Heidrich Gerações se dispôs ao total apoio às famílias, na recuperação de todas as coisas que foram estragadas, com construções, inclusive já estamos fazendo algumas construções de alguns ranchos que caíram. Também na recuperação de toda área que teve estragos causados pela lama. Estamos limpando, colocando brita nova. Queremos resolver da melhor forma possível para não deixar ninguém descontente, nem com a empresa e nem com a Construtora do Pereira”, finaliza o mestre de obras.

Nota sobre o ocorrido emitida pela empresa responsável, Heidrich Geração Elétrica

A Heidrich Geração Elétrica, está na fase de Operação em Teste, da PCH Rudolf, como autorizado pela CELESC/ANEEL/FATMA.
A Pch Rudolf possui potência instalada de 9.26MW. Seu canal de adução tem extensão de aproximadamente 4Km, dos quais a maior parte foi construída em concreto (fundo e laterais).

A empresa, com knowhow de mais de 60 anos em construção de usina, apesar de ter utilizado as melhores técnicas de engenharia, vivenciou um evento inédito, com a ruptura de um vão de concreto, numa das laterais do canal.

Verificou-se a ocorrência de rompimento localizado, em um módulo de parede situado entre duas juntas de dilatação.

Trata-se do último módulo concretado, exatamente aquele que servia de acesso ao interior do canal, para circulação durante a fase de construção.

Considera-se o motivo da ocorrência, falha executiva localizada, não extensiva aos demais módulos, a qual demandará cerca de 30 dias para ser reparada. A avaria provocou, tão somente, danos ambientais de pequena monta, sem danos humanos e sem danos de infraestrutura.

A empresa comunicou a FATMA e ANEEL sobre a ocorrência e imediatamente, com a presença dos proprietários, mobilizou homens e equipamentos para dar toda a assistência as propriedades atingidas, das quais duas residências foram parcialmente inundadas (área de lavação e banheiro).

Para a solução dos danos ambientais já estão sendo encaminhadas as providências necessárias e elaborado um plano de recuperação.
A empresa lamenta o ocorrido e está tomando as medidas para mitigar os impactos socioambientais.

ADM José Gilmar Nasatto
(Administrador Comercial)

COMPARTILHAR