Foto: JATV

O mês de agosto é um mês festivo para a Cooperativa Cresol, especialmente para as Unidades situadas nos municípios de Rio do Campo e Santa Terezinha.

Publicidade

Ainda na primeira quinzena deste mês a Unidade de Rio do Campo comemorou 10 anos de instalação no município.

E nesta semana, dia 21, foi a vez da Unidade Cresol de Santa Terezinha soprar as velinhas pela comemoração de oito anos de instalação no município. Assim, a segunda-feira foi totalmente dedicada ao associado terezinhense. Todos que puderam estar presentes na cooperativa foram recebidos com coquetel, incluindo bolo de aniversário, e ainda participaram de sorteios de brindes.

Jaimir Dobnor é o diretor da Cresol na unidade de Santa Terezinha e recentemente foi eleito também diretor vice-presidente da Cresol de Vitor Meireles. Na segunda-feira, dia do aniversário da unidade, Jaimir concedeu uma entrevista ao Jornal A Tribuna do Vale, onde citou, principalmente, o crescimento significativo no número de associados durante esses oito anos de instalação em Santa Terezinha. Acompanhe a entrevista na sequência.

Associados e funcionários da Cresol (Foto: JATV)

JATV: Há quanto tempo você atua como diretor na Cresol Santa Terezinha?

Jaimir: Em dois mandatos fui diretor. Comecei como conselheiro fiscal da cooperativa. Em 2009 trabalhei um pouco mais de um ano no conselho fiscal, depois fui convidado para ser diretor, onde fiquei três anos. Na sequência passei mais três anos como diretor eleito, já como diretor liberado da cooperativa de Santa Terezinha. E agora recentemente fui eleito diretor vice-presidente da Cresol de Vitor Meireles.

JATV: Como você vê o crescimento da Cresol de Santa Terezinha nesses oito anos?

Jaimir: É só fazer uma análise de quando nós éramos somente 61 associados e agora somos em 1.740. Um número bem alto de associados. Todo dia temos novo associado na cooperativa. E há um espaço grande para buscar novos associados. E a quem não é, convidamos para vim conhecer e se associar conosco.

JATV: Quais as vantagens que a Cresol tem a oferecer que está atraindo novos sócios?

Jaimir: A Cresol tem um sistema bem diferenciado de outras instituições, isso a gente percebe. Oferecemos várias linhas de crédito para os agricultores, especialmente, e para o comércio local também, com juros diferentes. Então, hoje nós temos vários benefícios. Outro exemplo é a isenção da taxa de manutenção de conta, nós não cobramos, já as instituições cobram.

JATV: Na sua visão, a Cresol de Santa Terezinha é uma cooperativa consolidada, forte no município?

Jaimir: Sim, hoje é forte e consolidada, principalmente pelo número de associados que possui. E quanto mais números de associados, mais gente trabalhando e assim conseguimos obter maiores resultados também.

JATV: O que você tem a dizer para quem ainda não é associado?

Jaimir: Oferecemos linha de crédito a juros baixos, juros que atraem os associados. Também temos um atendimento diferenciado, são quatro carteiras que trabalham na agricultura, em especial. Dois caixas e eu como diretor. Então temos um grupo bom de trabalhar, pois um diretor sem uma equipe boa não consegue render.

JATV: Como surgiu a possibilidade de instalar a Cresol em Santa Terezinha?

Jaimir: A época era muito difícil, em 2009. Tínhamos que buscar crédito em outros municípios. Então formamos uma equipe de cinco pessoas e tivemos a felicidade da Cresol de Vitor Meireles querer implantar um novo posto. Faço parte desde o começo e estou até hoje dentro da cooperativa e devo continuar trabalhando e ajudando. Víamos que era a necessidade do povo de Santa Terezinha. E ela está nas mãos de agricultores, 100% das direções das cooperativas Cresol é de agricultores.

JATV: Qual sua satisfação em chegar neste número expressivo de associados?

Jaimir: Dá orgulho do que a gente fez. Lembro-me, dia 21 de agosto de 2009 era um dia de sol quente quando foram abertas as portas e eram apenas 61 associados, na época, e na inauguração estávamos num grupo de trinta pessoas. Mas foi plantada uma semente que germinou, produziu e está produzindo muito. E quando se trabalha e tem êxito, a gente fica feliz. E ainda temos uma longa estrada para continuar buscando, trabalhando. Tendo a parceria do comércio, dos agricultores. Só temos a agradecer o município de Santa Terezinha. Nossa cooperativa cresce em torno de 18% a 20% ao ano. Diferente do nosso país que não cresce, do estado que também está minguado. Mas o lado do cooperativismo, em todo o país cresce, não só em Santa Terezinha. Nasceu em Beltrão no Paraná, há 23 anos, e já é uma cooperativa sólida.

COMPARTILHAR